LUSO
FONI
AX_
Lusofoniax
1/5 ‘Give Me Your Love’

Intersecções na Literatura, Artes Visuais e Vivências Poéticas Ambientais em Angola, Brasil, Cabo Verde, Guiné Bissau, Macau, Moçambique, Portugal, São Tomé e Príncipe e Timor-Leste.

Objetivos para a realização de Residências Artísticas Livres sob curadoria da Galeria Sede em países lusófonos:

- Produção material para impressões gráficas em papel, tecido, telas e outros com posterior circulação, oficinas, cursos e criação de acervo.

- Imersão cultural LOCAL, dos residentes selecionados, com literatura, cinema e história, com seus projetos de residências, para posterior oferecimento público e gratuito de mini cursos, workshops, oficinas e vivências criativas para crianças, jovens e adultos.

Como funciona

FASE UM
Ocupação +351_Contágio Centro Cultural Guanabara UNICAMP De 08 a 18 outubro de 2018 Das 13:00 as 20:00

- GARE da estação (15 telas e impressões penduradas suspensas usando estrutura metálica da cobertura como ponto de fixação).

- Área externa em frente a GARE(ao ar livre) para instalações de poéticas ambientais com plantas, troncos, cascas, vasos e objetos da natureza resignificados(área total de 150m² a ser utilizada).

+351_Portugal

- Os cinco artistas portugueses do +351 reúnem uma série de trabalhos que, segundo o curador Bruno Marques, “possuem pensamentos consistentes com técnicas e experiências distintas” e marca o inicio de uma relação entre a troca de experiências artísticas entre Portugal e Brasil, inaugurando a LUSOFONIAX. A intenção e desafio está em utilizar cada um dos cinco percursos, através dos processos de criação, para agregar experiência e convívio internacional a novos artistas interessados em trocas lusófonas, bem como a interação e visitação com o público convidado_apreciador de nossa região.

Contágio_Brasil

- Começamos nossos processos em agosto de 2016, quando nossa interferência passou a acontecer com recorrência no ambiente. Em dezembro de 2017, realizamos a primeira mostra da rede-organismo-contágio. Após a exposição, como era previsto, vieram as chuvas de verão que imprimiram efeitos/mudanças nesse ambiente. Foi o momento em que deixamos o protagonismo para que o que fora produzido entrasse em convergência com a autopoieses - capacidade da vegetação criar a si própria junto a diversas espécies. Essa segunda mostra é o fechamento de um ciclo. Esperamos compartilhar essas experiências e processos em bons encontros com seus possíveis acontecimentos e desenvolvermos, com a curadoria da Galeria Sede, a participação nessa empreita de criação das residências artísticas livres Brasil Portugal.